domingo, 1 de junho de 2008

Porque negar a Si mesmo?


Já pararam pra pensar o porque do cristão precisar negar a si mesmo?
Esta expressão faz parte da radicalidade da proposta do evangelho e infelizmente não é uma questão opcional, ao contrario, os evangelhos são claros: exige-se do discípulo que negue a si mesmo.
Mas intenção real desse mandamento só pode ser entendida a partir de uma percepção transcendental da proposta de vida de Jesus para nós.
O homem está perdido, condenado pelo pecado, afastado de Deus. Como bem percebeu o filósofo, físico e matemático Blaise Pascal - "Há uma vazio na alma do homem que é do tamanho de Deus". O homem não se realiza sozinho em sua existência, isto é um fato difícil de ser negado. A proposta de Cristo, então, é o encontro do “eu” pela negação do “eu”. Pode até parecer complexo , mas de fato não é.
Entendemos isso isto a partir do momento em que lembramos de nossa origem divina e de como fomos criados “a imagem e semelhança” de Deus. Essa "imagem e semelhança" se descaracterizou pela presença do pecado, trocando em miúdos, não somos, no momento aquilo que fomos criados para ser.
Dessa forma, ao negarmos nossa vida e assumirmos a identidade de Cristo (Gl 2.20), encontramos nosso verdadeiro “eu” na origem divina!
Negando esse "eu" material, passageiro, pecador, estamos dando vazão ao "Eu" do plano divino original, o "Eu" à "imagem e semelhança de Deus".
Agora fica fácil de entender porque é tão importante negar a si mesmo.
Trocar nossa natureza pecadora por uma incorruptível e divina.
Que troca não?!?


_______________________________

Adaptado de "Vida Cristã Frutífera" do autor Josué Ebebnézer

7 comentários:

Gabriel (Harry) disse...

Esse é um ponto que muitas vezes esquecemos; não somos mais como Deus nos fez para ser, assim sendo, essa negação é inevitavel e nos permite nos reaproximarmos de Deus, através do sangue de Cristo.

Tássya disse...

Não que seja fácil negar a mim, mas isso é tão pouco perto do que Cristo fez, não? E negando a mim estou mais perto de Cristo. Não há nada mais recompensador.

Bela ilustração de Ocavalo e seu menino. Uma das minhas crônicas preferidas.

Sinézio disse...

vou deixar que uma musica do petra comente sobre o assunto:

Killing my old man
You may not understand
He's a terrible man
Got to make a stand
And kill the old man

Every time that I think he's gone and I've finally won
He just keeps coming back, puts me on the run

I think I'd better do it now
Get my hammer and a nail
Pray to God I that I won't fail
Lest he'll keep me in the jail
And I don't wanna stay in jail!

Mas sejam fortes e não fiquem desanimados, pois vocês serão bem sucedidos em tudo o que fizerem.

2Cr 15:7

Amem!

Clarissa disse...

Definitivamente o fato de "não sermos aquilo para o qual fomos criados" é uma afirmação que muito me toca.

Acho muito linda essa questão aparentemente tão contraditória do ser cristão: é quando eu nego a mim mesmo que encontro o meu verdadeiro eu!

É o esvaziar-se de mim mesma que me torna plena.Humanamente isso é algo incompreensível.

Realmente Deus usa as coisas loucas deste mundo para confundir " as sábias". ( e como eu amo isso!!!)

M L R - Conduzindo Vidas ao Amor de Deus disse...

Uma ilustração bastante concisa, porém discordo em partes! Ainda que em tese há fundamentos lógicos inevitáveis, mas por ter já participado de filosofias que defendem o verdadeiro EU, quero contribuir com o que me leva a discordar; o EU verdadeiro não deve ser o objetivo do Cristão mas JESUS CRISTO como centro de um processo de restauração da vida, a simpliscidade defendida na busca do verdadeiro EU parece anular a maravilhosa e magnífica obra de CRISTO que por ora não foi em nada simples... Se em minha mente começo a crer que possuo um verdadeiro EU, isso passará por cima de qualquer necessidade de esforço e não mais necessito nergar-se a mim mesmo, JESUS mais do que nós mesmo é quem sabia da existência do Verdadeiro EU e nem por isso se deu ao luxo de ir direto para ele, teve sim que pagar um preço altíssimo para conquistar não para Ele somente que já era propósito de Deus mas para nós principalmente que estávamos necessitando de resgate. Devemos manter cuidadosos com nosso coração vejamos: Provébios 27:19 "Como na água o rosto corresponde ao rosto, assim, o coração do homem, ao homem." Que Deus nos Abençoe em Cristo Jesus!!!

Raul Vitor disse...

Olá Irmão! Que bom termos opiniões diversas aqui no argumentações. Entendi sua preocupação, porém, Deus entregou seu filho para salvar PESSOAS como eu e você, para que um dia essas PESSOAS pudessem conviver com Ele na eternidade, logo temos que buscar sermos as pessoas que Ele nos projetou pra ser, e fazemos isso deixando que o Espirito Santo nos trabalhe ate o dia da restauração completa onde receberemos corpos incorruptiveis, como explica o apostolo Paulo. Almejar esse Eu restaurado não inculca nenhum erro, já que o mesmo só pode ser alcançado através do aceite de Cristo como senhor e salvador, que por sua vez pressupõe a negação já comentada no post.

Quando o Irmão diz:

"Se em minha mente começo a crer que possuo um verdadeiro EU, isso passará por cima de qualquer necessidade de esforço e não mais necessito nergar-se a mim mesmo,"

Há, no meu ponto de vista uma incongruencia, veja só, Paulo sabia que teria um Eu restaurado e nem por isso deixou de imitar a Cristo. Saber que seremos restaurados não implica de maneira alguma em uma comodidade não mudar, pelo contrário nos incentiva a aceitar a mudança que o Santo Espirito promove em nós.
Esperto ter esclarecido meu ponto de vista.
Perdão pela demora em perceber a discussão, provavelmente devido a data do post e a data do comentário.

Abraços em Cristo!

Zumbiologia disse...

Deus te abençoe, precisamos nos negar ao ponto de entregarmos toda nossa vida a Jesus, ao ponto de que sua vontade seja nossa vontade. Dar nossas vidas para Ele, como Ele deu a sua por nós.